Resenha: Mundo Novo

Resenha por Brunna Carolinne

Autor: Chris Weitz
Editora: Seguinte
Número de páginas: 328

Um misterioso vírus matou todos os adultos e crianças do mundo, agora só restam os adolescentes, que estão divididos em tribos e lutam para encontrar suprimentos e sobreviver. Está tudo um caos: aparelhos eletrônicos não funcionam, bebês não nascem mais, animais andam soltos pela cidade e adolescentes estão ainda mais hostis. A cada dia que passa, a Doença fica pertíssimo de bater às portas, afinal, é só atingir a maioridade que os sintomas começam. E, uma vez que iniciam, é impossível controlar.
Quando Crânio, integrante da tribo da Washington Square (em Nova York) descobre uma pista que pode trazer respostas sobre o Ocorrido e talvez até levar à uma cura para a Doença, Jeff, o líder recém-empossado da tribo, decide partir em uma expedição, junto com alguns outros jovens, para investigar esses indícios. Mas o mundo que eles conheciam não existe mais – agora há perigos por toda parte neste mundo novo.
Eu sou a loucona das distopias, leio praticamente todas. Assim que este livro começou a ser vendido com essa denominação, eu corri para comprar. A cada distopia que leio fico maravilhada como ainda há elementos a serem explorados nesse âmbito. Ok, Mundo Novo até tem uma premissa parecida com a de tantas obras por aí, mas o que o torna tão singular é o desenvolvimento – engraçadíssimo, recheado de ação e situações inusitadas que deixam o coração do leitor a ponto de sair pela boca, além de críticas bem claras e contundentes; tudo muito bem descrito e intricado.
A narrativa, em primeira pessoa, alternada pelo ponto de vista de Jeff e Donna (uma garota da tribo por quem Jeff é secretamente apaixonado), é viciante, extremamente frenética, cheia de surpresas, contém várias referências a elementos da nossa realidade (livros, filmes, artistas, aparelhos eletrônicos...) e parece até uma conversa descontraída entre os narradores e o leitor.
Os personagens são muito bem caracterizados, cada um com sua personalidade. Jeff é responsável, tímido, sentimental, um tanto inseguro e só quer o bem para todos. Donna é fodona! Forte, vai à luta, não fica com mimimi, fala o que pensa e está sempre pronta para quebrar a cara e/ou atirar em algum engraçadinho. Os dois são tão opostos, mas tão parecidos que é difícil explicar. Eles são incríveis! Não só eles dois, todos os personagens são memoráveis. Prepare-se para as perdas, aqui elas doem muito, pois é fácil demais se apegar aos personagens.
Achei o final um tanto corrido. Não que isso tenha me deixado confusa ou chateada, eu apenas queria que tudo fosse um pouco mais explicadinho, porque eu preciso de respostas! O cliffhanger é enlouquecedor. Cadê a continuação?
Sei que muitos leitores estão saturados de distopia, mas peço que dê uma chace a essa obra (que é mais sci-fi que qualquer outra coisa). A história foi muito bem pensada e construída, cada elemento tem um significado, nada é por acaso. Fiquei extremamente envolvida com tudo e a cada novo capítulo eu pensava: caramba, como esse autor é fantástico! Amei cada pedacinho de Mundo Novo
"(...) a razão de tudo ser uma droga é que as pessoas são totalmente obcecadas em se apegar ao que têm - coisas legais, bons sentimentos, juventude e até mesmo a vida. (...)"
pág. 38

7 comentários:

  1. Eu confesso que só comprei esse livro pela capa, nem li a sinopse.
    Ai agora eu vou ler, necessito diminuir um pouco a pilha de leitura também


    Beijos

    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ahhh, eu quero ler esse livro... A capa é tão linda ^^ beijo

    ResponderExcluir
  3. Wow que legal \o/ Nunca tinha ouvido falar sobre e, eu também sou viciada em distopias, haha x) Fiquei muito curiosa com a história, e a capa é muito bonita :) Vou marcar no skoob pra lembrar do título. Ótima resenha, Brunna!!!
    Kissus
    www.penseicliquei.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem?
    Eu adorei a premissa do livro, mesmo mesmo. Não gostei muito da capa, mas isso é detalhe.
    Eu estava vendo um vídeo da Vanessa Chanice, onde ela fala sobre distopia e diz que vários livros que não são distopias são classificados como se fossem e tal, ela deu esse de exemplo. Sacanagem, né? haha. Super beijos <3
    http://livros-cores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Eu estou bastante saturada de distopias, rsrsrs. Mas, desde que li as primeiras resenhas sobre esse livrofiquei empolgada porque o enredo é bem interessante e eu curto histórias com ritmo frenético. Tenho ele no Kobo, vou tentar arrumar um tempo e encaixar.

    Beijos
    mundo-de-papel1.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Estava vendo o vídeo, onde você quase derruba a menina querendo Mundo Novo kkkk.
    E claro pra melhorar o livro é ótimo!
    Parabéns pela resenha, flor.
    Bjks

    ResponderExcluir
  7. Distopias não estao sendo mais meu forte, mas essa me chama atenção pela capa. Eu quero mas vou esperar, CHEGA de sofrer por continuações.

    Beijos

    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

« »
 
Layout por Adália Sá e modificações por Brunna Carolinne. © Proibido cópia total ou parcial. Plágio é crime!