Resenha: Princesa Adormecida

Resenha por Brunna Carolinne

Autora: Paula Pimenta
Editora: Galera Record
Número de páginas: 192

Devido a uma sede de vingança, Áurea Roseanna, ainda pequena, teve que se distanciar dos pais e morar em outro país. Já com 16 anos e conhecida como Anna Rosa, a garota vive sob o constante olhar vigilante dos 3 tios. Ela não entende muito bem o motivo deles serem tão superprotetores - não a deixam sair sozinha, sempre a alertam para não conversar com estranhos, para não dizer dados muito pessoais a qualquer pessoa... -, mas, um dia, suas amigas (do internato só para meninas em que estuda) a convencem a passear sem contar nada para os tios.
Rosa não se lembra de já ter se divertido tanto quanto nessa saída com as amigas! Mas o melhor ainda estava por vir: após as horas de curtição, já de volta ao internato, do nada Rosa recebe uma mensagem no celular: um estranho (chamado Phill) afirma que apenas quer conversar com ela. Um misto de emoções toma de conta  da protagonista - desconfiança, irritação, medo, segurança e encantamento. O correspondente diz ser um jovem garoto que ficou interessado nela e que quer apenas conhecê-la melhor. Ele está do outro lado do celular e usa palavras tão bonitas... Rosa não vê como ele poderia fazer algum mal a ela, mas mesmo assim tenta não passar informações muito pessoais e prefere não dizer para ninguém que está trocando mensagens com alguém que não conhece pessoalmente.
Durante todo o desenrolar da história, eu ficava pensando: "Sim, Rosa é muito ingênua, talvez por ter sido criada pelos tios em uma bolha, mas trocar mensagens com um estranho? E mais! Logo, logo se apaixonar por ele?". Até admito que isso foi demais para mim, entretanto, é tão bonitinho ver o encantamento dela por Phill, toda a alegria e confusão que ela sente quando pensa que um garoto ficou interessado nela, que tentei relevar a completa falta de noção dela.
Rosa foi criada o mais próximo possível dos atentos olhos dos tios, que contavam historinhas para ela, compravam vários bichinhos de estimação e não a deixavam sozinha por muito tempo. A garota já tem 16 anos e é tão bobinha... Acredita em tudo que todos dizem. Parece uma princesinha mesmo, sem muito conhecimento do mundo, sem poder aprender com os próprios erros. Não que eu a tenha detestado, mas ela não é do tipo de protagonista que costuma me agradar.
O Phill é uma fofurinha, um rapaz adorável, realmente encantador. Apenas uma coisa que ele fazia me deixava irritada: ficar chamando a Rosa por apelidinhos. Toda vez que ele fazia isso me soava extremamente forçado. Um outro detalhe que me deixou perplexa: tem uma cena em que a psicóloga (parece) do internato onde Rosa estuda conversa com ela, dá uns conselhos e deixa totalmente de lado o fato de uma adolescente se corresponder com um cara estranho! Essa mulher tem quantos anos? Ela existe mesmo? Caramba! Mais: todo o contexto que envolve a vingança me pareceu sem consistência; desde o início já temos ideia de quem é Phill.
O livro tem falhas incontestáveis, mas a narrativa é bastante fluida, envolvente e prazerosa. Somando-se isso com o fato da obra ter poucas páginas, a leitura é feita em poucas horinhas e ainda deixa um sorriso bobo nos lábios. Além do fato de também ser bem legal perceber na releitura os elementos do conto da Bela Adormecida, e isso a autora fez com muito cuidado e zelo. 
Sim, eu indico Princesa Adormecida, principalmente para quem quer uma história leve, agradável e despretensiosa, inclusive para quem quer ingressar no mundo fantástico da leitura.

8 comentários:

  1. Eu li o livro, e percebi todos os pontos que você apresentou. Eu amei o livro principalmente que a gente não pode esquecer de quem é o público alvo. Pra nós mais velhas lendo talvez pareça bobo, mas para uma menina mais nova tenha uma visão diferente.
    Acho que tava precisando de uma leitura levinha assim.
    Beijokas
    Jeh
    www.jeitodler.com

    ResponderExcluir
  2. Oiee, Brunna!

    Estou com este livro desde ano passado na estante, comprei de Almi, rs. Mas pretendo ler ainda este mês, porque se eu não gostar, vou dar para minha priminha de 15 aninhos.
    Aaah, mas estou curiosa para ler Fazendo Meu Filme da autora.

    Beijos!


    http://livrosfilmeseencantos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Brunna

    Não li uma resenha positiva desse livro até agora. Sua resenha ficou no meio termo, mostrou bem o que não ficou tão legal, mas também falou o que a história tem de bom.
    Eu sinceramente não me sinto interessada em lê-lo. Os muitos comentários negativos me desanimaram.

    Beijos
    mundo-de-papel1.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá Brunna,

    Desde o lançamento deste livro, fiquei com vontade de lê-lo, mas não sei se irei gostar da leitura, pela sua resenha ele não é o tipo de livro que eu vou amar.
    Acho tão linda essa capa *-*

    Beijos, Paradoxo Perfeito

    ResponderExcluir
  5. Eu li e tive um pouco de problemas pra me envolver com os personagens principais. Amei os tios dela, e a parte das cartas e as noticias de jornal foram o que mais me chamaram a atenção. Realmente a narrativa é bem rápida, e o livro fácil de ler.

    ResponderExcluir
  6. Eu li e tive um pouco de problemas pra me envolver com os personagens principais. Amei os tios dela, e a parte das cartas e as noticias de jornal foram o que mais me chamaram a atenção. Realmente a narrativa é bem rápida, e o livro fácil de ler.

    ResponderExcluir
  7. Bruna, já sei que vou me irritar com o livro.
    Sério!
    Detesto personagem boba.
    Gosto de personagem decidida e pronta pra ação.
    Gostei da resenha, pois você colocou os pontos nos is. rs
    Bjks

    ResponderExcluir
  8. OI flor, que saudade! Eu adorei este livro, tive a grata surpresa de conhecer a escrita da autora ano passado e adorei, agora quero me aventurar nas outras séries mais conhecidas dela!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir

« »
 
Layout por Adália Sá e modificações por Brunna Carolinne. © Proibido cópia total ou parcial. Plágio é crime!