Resenha: Diga aos Lobos que Estou em Casa

Resenha por Brunna Carolinne

Autora: Carol Rifka Brunt
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 464

Só existe uma pessoa no mundo inteiro que compreende June Elbus. Essa pessoa é o seu tio, padrinho, confidente e melhor amigo Finn Weiss. Quando a garota de apenas 14 anos perde seu querido tio precocemente para uma doença da qual sua família quase nada fala, o mundo dela parece desabar e não mais fazer sentido algum.
June está sempre imaginando situações e inventando novas aventuras medievais, ela vive em seu próprio mundinho. A garota é muito tímida e não tem amigos, por isso a prematura morte de Finn não poderia ter afetado-a mais. Ela está tão solitária como nunca esteve antes.
June sente tanta, tanta, tanta saudade do seu melhor amigo... Ela o amava muito. Não, não nesse sentido. June Elbus realmente era apaixonada por Finn Weiss. Por mais que a jovem quisesse negar isso para si mesma, não havia outra maneira para descrever o que ela sentia pelo seu tio.
Um tempo após a morte de Finn, June inesperadamente recebe um pacote com uma relíquia de seu padrinho e um bilhete de Toby (o homem que a família Elbus  julga ser o assassino de Finn) pedindo uma oportunidade para encontrá-la. Como June pode se aproximar do cara que é responsável pela morte da pessoa que ela mais amava no mundo? Mas, se ela conseguir confiar em Toby, eles dois podem descobrir algumas maneiras de passarem o tempo juntos, diminuindo a dor que ausência de Finn causa.
Uma história cativante que fala sobre amores e perdas, amadurecimento e esperança, Diga aos Lobos que Estou em Casa é tocante, comovente, encantador e sensível. Por diversas vezes durante a leitura encontrei-me com os olhos cheios de água, devido a tamanha emoção que a obra me transmitiu. Tudo é descrito com tanta delicadeza e sinceridade que é impossível não se apaixonar pelo livro.
A narrativa (em primeira pessoa) se passa no ano de 1987, quando o mundo era um lugar diferente, com pessoas de mentalidade diferente, e June está vivendo nesse meio, tentando entender tudo a sua volta. A jovem é uma protagonista perfeita, porque ela é sincera, verdadeira, sonhadora e meiga. Sua descrição transmite toda uma intensidade incomum, assim como a personalidade da própria heroína.
A edição da Novo Conceito está tão delicada quanto o próprio conteúdo. Capa linda, em que tudo tem um significado, folhas amarelas e letras em ótimo tamanho, confortáveis aos olhos, diagramação bem feita, que dá um toque todo especial ao livro, sem contar que quase não possui erros de digitação.
Quem gosta de tramas que falem sobre amor, paixão, medo, perda, reencontro, aceitação, amadurecimento e tantos outros assuntos que permeiam nossa realidade, tudo isso escrito de maneira leve, sutil e fascinante, deve ler agora mesmo Diga aos Lobos que Estou em Casa e se deliciar com tudo de especial que a June tem a contar.
"(...) Se você sempre garantir que é exatamente a pessoa que esperava ser, se sempre garantir que conhece apenas as melhores pessoas, então não vai se importar de morrer amanhã."
pág. 265

7 comentários:

  1. Oi, Brunna!
    Estou curiosa para ler esse livro, mas as leituras dramáticas sempre me deixam com pé atrás. Vou esperar um pouco mais para começar a leitura, mas será lido. A capa é muito bonita mesmo! :)

    Beijos,

    Rafa {Fascinada por Histórias}

    ResponderExcluir
  2. Posso dizer que esse é um novo livro que não esperava muito até ler a sua resenha. Para falar a verdade, nem ao menos sabia o tema central do livro e talvez por isso o deixei de lado. Mas agora fiquei curioso, se não pela história em si, pela maneira como a protagonista lidou com essa nova realidade de sua vida, inclusive o encontro com Toby.
    Não sei se é o caso, porém preferiria apenas que ela não tivesse apenas características de uma heroína. Muitas vezes isso foge da realidade e essa parece não ser a intenção, o que, claro, só posso dizer isso após a leitura.

    Beijos,
    Ricardo - www.overshockblog.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ricardo (:
      A June tem características de uma perfeita heroína porque, apesar de passar por diversas situações durante a trama, ela continua viva, sempre verdadeira, sonhando e querendo o melhor para as pessoas que ama, e uma pessoa batalhadora da nossa realidade não é assim mesmo? É isso que faz essa personagem ser tão especial, a grande semelhança que ela possui com o real. A garota poderia ser qualquer pessoa do nosso mundo *-*
      Leia o livro, ele é encantador!
      Beijinhos

      ~ Brunna Carolinne

      Excluir
  3. Ganhei esse livro de aniversário e estou doida para lê-lo. Todas as resenhas que li sobre ele foram positivas e pude perceber que se trata de uma história muito emocionante. Num primeiro momento fiquei me perguntando porque o titulo falava sobre lobos e temos um urso na capa, mas já tenho algumas suspeitas. Fico feliz que a leitura tenha te agradado tanto!

    Beijos,
    Blog Procurei em Sonhos

    ResponderExcluir
  4. Eu preciso desse livro! Me parece bem sensível e fofo!

    ResponderExcluir
  5. Imagina que o livro tratava de um assunto completamente diferente! Adorei a sua resenha e o livro já entrou para minha listinha de "desejados".
    Beijos, Bru
    www.sobrelivroseetc.com

    ResponderExcluir
  6. Quero muito ler esse livro! Achei a capa dele muito linda e a sinopse me chamou atenção! Pela sua resenha percebi que é meu tipo de livro mesmo, agora só falta conseguir comprar logo meu exemplar hahaha

    Beijos
    Débora - Clube das 6
    http://www.clubedas6.com.br

    ResponderExcluir

« »
 
Layout por Adália Sá e modificações por Brunna Carolinne. © Proibido cópia total ou parcial. Plágio é crime!