Resenha: A Guerra dos Tronos


Resenha por Brunna Carolinne

Autor: George R. R. Martin
Editora: LeYa
Número de páginas: 592

Eddard Stark, mais conhecido como Ned, mora em Winterfell (um enorme castelo que é a capital do norte). Ele é um homem justo, correto e que sempre faz de tudo para ajudar sua família e seus amigos. Um dia, ele é informado que seu amigo Jon Arryn, Mão do Rei, acabara de morrer e que o Rei Robert Baratheon está a caminho de Winterfell.
O Rei oferece a Ned (única pessoa em quem confia verdadeiramente) o novo cargo de Mão do Rei. A princípio, ele até pensou em recusar (pois teria que ficar longe da família), mas depois de saber que talvez a morte de Jon Arryn não tenha sido de causas naturais como havia sido anunciado e que a vida de seu amigo Robert esté correndo perigo ele aceita o cargo pensando que dessa forma poderia descobrir quem matou Jon e também proteger Robert. E assim, ele e dois familiares seu vão para Porto Real, a capital de todo o reino.
Isso é só a essência do livro, o básico do básico, afinal em 592 páginas com letras miúdas muitas coisas acontecem. Como não quero soltar spoiler, vocês irão ficar apenas com essa parte mesmo.
A Guerra dos Tronos é um livro mágico, onde você fica louco quando termina de lê-lo, quer mais e mais. Apesar de ser bem volumoso, a leitura flui de forma muito rápida, você fica totalmente apaixonado pelo mundo que Martin criou.
Os personagens são muito cativantes, mesmo que depois de um tempo você perceba que não pode se apegar a nenhum, não tem como isso não acontecer. Cada um é tão bem criado que todos te cativam (até mesmo alguns "vilões"). Meus preferidos são Bran Stark e Jon Snow, os dois, desde o início, me conquistaram de uma forma que há muito tempo não acontecia comigo.
Sei que essa resenha não irá chegar nem perto de transmitir o que eu senti quando estava lendo essa obra, mas resolvi fazê-la para que você leitor não perca mais tempo e compre logo seu exemplar e comece a ler o quanto antes. Até hoje eu me pergunto por que não tinha lido esse livro antes. Sim, sei que é praticamente inevitável não se assustar com seu tamanho, mas, acredite em mim, na hora da leitura você nem vai se preocupar com isso.
Quando terminei de lê-lo e tentei começar outro, não consegui pegar ritmo, parecia que tudo que eu lia não era tão bom, comecei a me incomodar com algumas coisas que antes nem ligava. Tudo estava diferente.
Em relação a adaptação da HBO, a 1ª temporada da série é praticamente igual a este livro (apenas alguns detalhes mudam), por isso aconselho primeiramente ler a obra e depois assistir à adaptação (que também é muito, muito, muito boa).
Sim? E então? Ainda tá esperando o quê para embarcar nesse mundo? Garanto que não vai mais querer sair.
"O inverno está chegando..."

4 comentários:

  1. Obrigada pela dica, agora quem esta ansiosa para lê-lo sou eu, :D

    ResponderExcluir
  2. Muito boa a resenha! Apenas creio que quanto maior o livro, maior é minha vontade de o ler, assim como o tempo para a história ter seu fim.

    ResponderExcluir
  3. Dercio Rocha11/09/2012 19:42

    Brunna, estou impressionado com o seu comentário... com que facilidade voce expõe o que sente.  Voce é a prova viva que ler é fundamental. Voce se destaca da grande maioria dos jovens de sua idade, onde é comum ouvir as expressões de "é nóis" "agente sabemos" e por aí vai. Parabéns, continue assim. Com absoluta certeza voce será uma grande engenheira e Perita Criminal. E desculpe por entrar no seu blog... 

    ResponderExcluir
  4. Anacarmenrocha06/03/2013 08:48

    recentemente, comecei a ler "a fúria dos reis" livro dois da saga. 

    sou absurdamente apaixonada pela narrativa do George RR Martin. mas ainda prefiro o Livro 1, acho q a história flui muito melhor e é mais intrigante. acho q isso da-se por ser o livro de abertura, a apresentação dos personagens e o desenrolar do inicio prende e fascina... espero que o restante da série seja tão bom quanto. 
    ótima resenha

    ResponderExcluir

« »
 
Layout por Adália Sá e modificações por Brunna Carolinne. © Proibido cópia total ou parcial. Plágio é crime!